Entenda a importância do brincar e do conversar com o bebê

Entenda a importância do brincar e do conversar com o bebê

3 de junho de 2019 0 Por ABC Design Brasil

Estabelecer um diálogo com os bebês, ainda dentro da barriga, é mais que a criação de laços afetivos. A importância do brincar e do conversar com a criança está relacionada ao desenvolvimento cognitivo dos pequenos.

Pais que estimulam seus filhos por meio das brincadeiras e da fala contribuem para a expansão do vocabulário e enriquecem as formas de expressão. Continue a leitura do artigo e confira mais informações a respeito dessa prática. Acompanhe!

A importância do brincar e do conversar

A importância do brincar e conversar com o bebê não deve se restringir ao momento em que a criança nasce. A prática deve ocorrer desde a gestação, já que é dentro do útero que o pequeno ser humano em formação começa a conhecer o mundo e ter as primeiras percepções.

É verdade que os acontecimentos durante esse período são esquecidos logo que o bebê nasce. No entanto, eles ficam registrados no inconsciente. Assim, essas experiências influenciam diretamente no relacionamento que a criança terá com o mundo, principalmente durante a primeira infância.

A fala

Biologicamente falando, o embrião humano é programado, desde a concepção, para a prática da fala. A partir do terceiro trimestre de gestação, o feto consegue ouvir. No entanto, muito antes disso, ele já é capaz de captar as vibrações da voz materna e das emoções carregadas pela fala da mãe.

Geralmente, a língua ouvida pelo feto será o idioma oficial praticado. Quando a conversa se inicia desde a barriga, fica mais fácil para ele codificar e aprender a de fato falar no futuro. Por isso, a comunicação durante a gestação é fundamental: introduzindo as palavras desde o útero, a mãe contribui para que o bebê comece a formar o seu vocabulário.

O brincar

A brincadeira é uma forma de a criança explorar, conhecer o mundo e aprender. Por meio dos estímulos propostos a cada ato de brincar, conexões são formadas no cérebro e isso facilita o aprendizado.

O prazer, as diferentes formas de expressão e a aprendizagem formam a tríade dos objetivos da brincadeira. Ou seja, de maneira geral, é brincando que se aprende.

O que diz a ciência

Um estudo realizado pela Bezos Foundation Family, em parceria com a Universidade de Washington nos Estados Unidos, mostra que os bebês absorvem as questões referentes à linguagem ainda dentro da barriga da mãe.

A pesquisa aponta também que uma criança é capaz de distinguir a sua língua nativa — ou seja, que a mulher usou para estabelecer o diálogo com o bebê durante a gravidez — de um idioma estrangeiro nas primeiras horas após o nascimento. Ou seja: nossos filhos ouvem e aprendem desde a gestação.

Já no Reino Unido, pesquisadores da Universidade de Cambridge procuraram entender como o cérebro infantil se desenvolve. O resultado foi que a comunicação permite estabelecer uma sincronia entre as ondas cerebrais dos pais e da criança, colaborando para que o aprendizado aconteça de maneira mais eficiente.

O estudo escaneou o cérebro dos pequenos, sugerindo que eles, também, precisam se sentir em segurança e amados pelas famílias. Assim, as conexões formadas no cérebro facilitam a aprendizagem.

Esse objetivo não é alcançado apenas pela fala, mas também por meio das brincadeiras. Mães que interagem com os filhos e desenvolvem atividades junto a eles contribuem para o desenvolvimento da criança.

Quais as vantagens

Conversar com o bebê desde a gestação e o ato de brincar com as crianças, desde muito pequenas, promovem inúmeras vantagens.

Reunimos, neste tópico, os pontos mais relevantes presentes na importância do brincar e de manter um diálogo com os pequenos. Confira!

A fala desde a gestação:

  • estabelece vínculos afetivos com a mãe;

  • contribui para o desenvolvimento neurológico e cognitivo;

  • ajuda a desenvolver a linguagem.

As brincadeiras:

  • auxiliam no desenvolvimento do cérebro infantil;

  • promovem a construção de conexões nervosas;

  • têm impacto direto sobre o desenvolvimento de habilidades motoras e capacidade cognitiva.

Para a conversa na primeira infância:

  • apresentar os elementos do mundo externo, como apontar e nomear árvores, familiares e objetos, ajuda a criança a identificar o que faz parte do seu cotidiano e dá forma às palavras;

  • utilizar tom de voz que colabora para que a criança aprenda a decodificar emoções como alegria, dor e tristeza;

  • entender que a entonação tem o poder de acalmar os bebês;

  • saber que colabora para que a criança aprenda a falar as palavras corretamente desde sempre.

Como estimular os bebês

Cante, converse, diga ao seu filho como você está se sentindo, desde a gestação. Se você chora, explique a ele o motivo. Se estiver muito feliz, expresse esse sentimento.

O canto e a leitura podem iniciar na gestação, prosseguir logo após o nascimento e se estender ao longo da infância. A sonorização e a rima presentes nas canções transformam a conversa em uma grande brincadeira, o que facilita a alfabetização.

O refrão das músicas, também, contribui para prender a atenção da criança, por meio da repetição de palavras. Vale destacar que, nos primeiros anos, a letra da canção não é tão importante. Em um primeiro momento, deve-se considerar somente a sonoridade.

Já histórias e poesias são práticas fundamentais para estimular a criatividade e imaginação, além de aumentar o vocabulário e instigar a curiosidade sobre os sons, o idioma e os fonemas. Inclusive, a leitura pode ser considerada uma brincadeira: os pais podem convidar a criança a explorar um livro ou representar a história por meio de um teatro em família.

A aprendizagem não é um processo mecânico. É importante ter sensibilidade para perceber as atividades que são realizadas com prazer e investir em práticas semelhantes. Faça caretas, dance com seu filho, aposte na tradicional “Cadê? Achou!”, apresente as bolhas de sabão. Todas essas brincadeiras contribuem para o desenvolvimento do pequeno e ajudam a fortalecer os laços entre pais e filhos!

A importância do brincar e conversar vai além das perspectivas afetivas. São práticas fundamentais para o desenvolvimento cognitivo, motor e neurológico das crianças. Portanto, dedique-se aos momentos de interação com os seus filhos!

Quer entender mais sobre o desenvolvimento do bebê ainda na barriga? Confira o artigo que preparamos sobre o tema!