Amamentação e cuidado com as mamas

Amamentação e cuidado com as mamas

16 de setembro de 2019 0 Por ABC Design Brasil

A amamentação traz diversos benefícios tanto para a mãe quanto para o bebê. O leite materno, além de conter muitos nutrientes importantes para o desenvolvimento do recém-nascido, também possui anticorpos que auxiliam no combate às infecções. Da mesma forma, amamentar não é só nutrir. O contato entre a mãe e seu filho durante a amamentação possibilita o fortalecimento de vínculo entre eles.

Durante os seis primeiros meses de vida, o bebê não precisa de outro alimento a não ser o leite materno. Além de satisfazer todas as necessidades nutricionais nessa fase, a sucção não nutritiva das mamas é essencial para transmitir tranquilidade ao novo ser que acaba de chegar.

Apesar das inúmeras vantagens já citadas, muitas pessoas encontram dificuldades durante o período de amamentação. Fissuras, pega incorreta e questões anatômicas do próprio seio podem interferir nesse processo. Para solucionar todas as suas dúvidas e te auxiliar em um momento tão especial, reunimos algumas informações importantes sobre o assunto. Acompanhe para entender.

Como preparar o seio para a amamentação

Uma das etapas mais importantes para o sucesso da amamentação é a preparação. Veja abaixo o que fazer em cada fase.

Cuidados durante a gestação

Durante a gravidez o processo de preparação dos mamilos já pode ser iniciado. Nessa etapa, expor os seios ao sol por quinze minutos diariamente, já é o suficiente. É preciso se atentar aos períodos, evitando a exposição em horários entre 10 horas e 15 horas, e utilizar proteção solar em toda área exposta, com exceção dos mamilos.

Além disso, é recomendado não hidratar o bico dos seios durante a gravidez e lavá-los somente com água durante o banho.

Cuidados durante a amamentação

Assim como durante a gravidez, é preciso evitar o uso de sabonetes e hidratantes na área dos mamilos. Deixar os seios secarem naturalmente é uma medida que previne o surgimento de fungos e reduz o risco de fissuras. Para isso, utilizar o próprio leite materno nas auréolas e mamilo é o suficiente para evitar possíveis infecções, já que esse alimento possui ação antibactericida, hidratante e cicatrizante.

Em casos de rachaduras mais graves, cremes e pomadas à base de lanolina podem ser indicados para aliviar os sintomas. Situações como o ingurgitamento mamário são comuns e para que essa condição não se agrave é recomendado utilizar compressas frias sobre as mamas.

Principais causas de dores ao amamentar

Durante a amamentação é comum surgirem alguns sintomas desagradáveis. Não é regra, contudo, algumas mães sofrem mais e outras menos. O importante é estar ciente dessas informações e preparada para o que está por vir. Algumas condições, já citadas anteriormente, podem trazer dor e desconforto durante a amamentação. São elas, as rachaduras e o ingurgitamento mamário.

Entretanto, outras situações merecem atenção médica. Veja abaixo quais são elas.

Mastite

É uma inflamação do tecido mamário que causa febre, dor, inchaço e vermelhidão no local. Em geral, necessita de acompanhamento médico, pois é possível ter de ingerir antibióticos para combater a infecção.

Candidíase mamária

Trata-se de uma infecção fúngica que pode causar feridas e fisgadas na região do mamilo. Comumente, a área se torna esbranquiçada e, nesses casos, um médico deve ser procurado para iniciar um tratamento antifúngico.

Doença de Raynaud

É um fenômeno causado pela vasoconstrição dos vasos sanguíneos da mama. Além do aspecto esbranquiçado do mamilo, pode se apresentar através de dores e fisgadas no local. Essas características podem ser confundidas com outras patologias e é indicado procurar ajuda profissional.

Muitas dessas questões podem estar relacionadas a uma pega incorreta durante a amamentação. Essa condição pode levar a desconfortos causados pela sucção inadequada e ineficiente das mamas. Além dos problemas mamários, uma sucção errônea impede que o bebê se alimente de forma perfeita, podendo ocasionar a redução no ganho de peso esperado e também diminuição da produção de leite materno.

Quer saber como identificar se a amamentação está satisfazendo o bebê? Leia abaixo.

Como saber se o bebê está mamando corretamente

A saciedade do bebê é uma das maiores preocupações das mães de recém-nascidos. Será que meu filho está se alimentando satisfatoriamente? Como saber se o leite materno está satisfazendo o bebê? Se essas são algumas das suas dúvidas, veja abaixo como saná-las.

Identifique se a pega está correta

A pega correta é o primeiro passo para que o bebê se alimente de forma adequada. Além de prevenir problemas com a mama, a sucção eficiente é importante para manter o recém-nascido alimentado. Como característica da pega correta é possível identificar a boca aberta com lábios para fora, além de ser importante o bebê abocanhar grande parte da auréola e não somente o bico.

Perceba se o bebê está satisfeito após a amamentação

Ao estar saciado, o bebê demonstra características de relaxamento e satisfação. Muitos até pegam no sono logo após se alimentarem.

Atente-se às fraldas

Um bebê bem alimentado deve molhar de 8 a 10 fraldas por dia. Atentar-se a isso é importante também para avaliar sintomas de desidratação. Quanto às fezes, é aceitável que bebês amamentados permaneçam alguns dias sem evacuar.

Acompanhe o ganho de peso

É comum que bebês emagreçam nas primeiras semanas de vida. Isso se deve a alguns fatores como eliminação de suor, mecônio e urina. Contudo, com o passar das semanas é preciso acompanhar se o peso está aumentando. As consultas com o pediatra devem ser feitas regularmente com o objetivo de verificar o peso adquirido e avaliar o sucesso da amamentação.

A amamentação é uma etapa muito importante para a saúde e criação de vínculo entre a mãe e o bebê. Siga nossas dicas para ter sucesso nessa fase e se informe sobre outros assuntos relacionados através do nosso blog.